13 de março de 2010

Miss Imperfeita!

Demorou um pouco, mas agora eu consigo entender esse texto! Pergunto a mim mesma: Até que ponto muita coisa vale a pena??

'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de emails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias.
Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante' .

Martha Medeiros - Jornalista e escritora

Sobre a Autora:
Rosana Ibanez Rosana Ibanez:Sou alguém que gosta da vida, que procura viver dentro de seus princípios, que ama sua família, que viveu bastante mas não o suficiente, que apesar da distância e das barreiras, ainda acredita no amor entre duas pessoas, que acredita na continuidade da vida após a morte, que ama o próximo como a si mesma, que ainda acredita no ser humano e que tem DEUS como ser supremo.

13 comentários:

Elaine disse...

Rosana,
Tem um agrado para você em meu blog.
Tomara que você goste pois eu gostei muito de ter feito...
Beijos.

Mahria disse...

Parabéns linda, seu blog foi indicado pela diva da blogosfera, Elaine, por isso vim aqui te conhecer, prazer.

Bjs
Mah

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Vim conhecer seu blog por indicação da Elaine Gaspareto.
E ela está certa, seu blog é muito bom.
Gostei muito deste texto postado, realmente o que importa não é uma agenda lotada e sim uma vida bem vivida.

Estou seguindo seu blog.
bjos e bom domingo

Rosana Ibanez disse...

Elaine!! Acabei de ler a sua homenagem e estou sem palavras! Agora sei que são pessoas assim como você que nos faz ter a certeza de que tudo na vida vale a pena!!
Obrigada

Rosana Ibanez disse...

Olá Mahria e Alexandre! Sejam bem vindos aos meu blog e agradeço de coração a visita de vocês!
Com certeza também os visitarei e já estou seguindo todos, ok??
Beijos e voltem sempre!!

Pelos caminhos da vida. disse...

Te Desejo Nesta Semana...

Paciência para as dificuldades
Tolerância para as diferencias
Benevolência para os equívocos
Misericórdias para os erros
Perdão para as ofensas
Equilibrios para os desejos
Sensatez para as escolhas
Sensibilidades para os olhos
Delicadezas para as palavras
Coragem para as provas
Fé para as conquistas
E amor para todas as ocasiões...

Que Você tenha uma Semana Maravilhosa!


(Autor Desconhecido).

beijooo.

Rosana Ibanez disse...

Pelos Caminhos da vida!! Desejo para você também uma semana maravilhosa e mais uma vez obrigada pela sua visita e pelos textos tão brilhantes!
Beijos no coração

Vanda disse...

O texto é tudo amiga! Realmente é por aí... O problema é que às vezes nós mesmas é que complicamos as coisas! Rs..
Seu blog tá lindo, desculpa quando não venho retribuir os comments, mas adooooro quando vc vem no meu Planeta!!

Uma linda semana querida!

Anne Lieri disse...

Rosana,parabéns pelo belo texto,muito bem escrito,com reflexões importantes para todas as mulheres e mesmo os homens.Já sou sua seguidora pois a leitura aqui é um grande prazer!Bjs,

Rosana Ibanez disse...

Olá Vanda e Anne Lieri!! Eu que agradeço a visita de vocês e será sempre um grande prazer tê-las como minhas amigas!
Uma ótima semana e mais uma vez obrigada amigas!!

Fabiola Vasconcelos, disse...

Olá Rosana, obrigada pela visita e por me seguir também. Esta postagem sobre as focas é muito forte. E para você vê país de primeiríssimo mundo com práticas medievais, não é?
Felicidades mil.
Beijos

Anne Lieri disse...

Rosana,que post mais triste!As imagens nem consegui ver direito,porque doem demais!Realmente o homem é um ser brutal!Muito bom o enfoque que deu ao texto!Concordo plenamente!Bjs,

Fátima disse...

Rosana, amei seu texto.
Concordo com você e compartilho com a decepção quanto às atitudes do homem.

Agradeço também sua visita carinhosa, e nos acompanhar é um prazer.

Beijo.

Blog Widget by LinkWithin
 

Sempre em dia... Copyright © 2010 Designed by Cris Duarte Cantinho do Blog